04/02/2014

Pão caseiro [a paciência é uma virtude!]


Quando era pequena, passava muito tempo em casa dos avós, na quinta. Aí, havia um forno e semanalmente saía uma fornada de broa de milho e bola de sardinha ou bacalhau. Antes de cozer, a minha avó amassava o pão nas gamelas de madeira e enquanto o pão levedava, limpava e aquecia o forno. Na altura aquele forno parecia-me enorme!! 
Agora, quando há tempo e paciência, sinto uma enorme nostalgia porque todo este processo me faz voltar atrás e reviver memórias de tempos tão bons.
Poderá ficar assustado e sentir alguma desmotivação quando lhe disser que este pão demora 4 horas a fazer, mas programe isto para um dia em que esteja em casa, comece antes de almoço e terá uma deliciosa recompensa no momento do lanche.
A receita é de Paul Hollywood e aprendi numa série que andou a dar no canal 24 Kitchen, Os segredos do Pão.
Garanto-lhe que vale todos os minutos de espera!

Ingredientes:
500 g de farinha T65 sem fermento
7 g de levedura seca
10 g de sal marinho
2 colheres de sopa de azeite
320 ml de água

Deite todos os ingredientes numa taça e misture com a ajuda de uma colher, em movimentos circulares.
Unte a superfície de trabalho com azeite.
Deite a massa na superfície de trabalho e comece a trabalhar a massa. Sove a massa, amasse, estique e pressione com os nós dos dedos até que a massa deixe de se agarrar às mãos e à superfície. Este passo demora aproximadamente 10 minutos, que se forem feitos com a devida intensidade, resultam como se de uma série de abdominais de tratasse!
Unte uma taça com azeite, molde uma bola e coloque-a a descansar, tapada com película aderente, durante 2 horas. Ao fim deste tempo, deverá ter duplicado de tamanho.
Retire a massa para a superfície de trabalho e bata-lhe para rebentar as bolhas de ar que se formaram [este é o momento em que pensa naquela pessoa especial!!].
Com os nós dos dedos, forme um retângulo, dobre a parte de cima para o meio e dobre novamente como se vê na fotografia de cima. Achate novamente, com os nós dos dedos e repita a operação mais duas vezes.
Por fim, molde o pão. 
Coloque o pão num tabuleiro, forrado com papel vegetal. Polvilhe o pão com farinha e passe com a mão, gentilmente, para a espalhar bem. 
Faça golpes no pão, no sentido em que quer que o pão cresça. 
Coloque 2 canecas nos lados e por cima tape novamente com película aderente. Deixe levedar novamente, por 2 horas.
Ao fim deste tempo, coloque uma taça com água no fundo do forno.
Aqueça o forno a 225ºC.
Coloque o tabuleiro do pão a meio do forno e deixe cozer durante 25 minutos.
Retire e deixe arrefecer sobre uma rede.

17 comentários:

anabel disse...

que bueno , y que esponjoso.
saludos

Luisa Alexandra disse...

Que maravilha de interior tem esse teu pão, fantástico mesmo!

Ana Rita disse...

Eu também acho que todo o tempo que leva fazer um pão é recompensado na hora de o tirar do forno e comer uma fatia ainda morna! Eu sou apaixonada por pão e também tenho grandes memórias de infância em torno dele e do forno....
Ficou uma beleza de pão com um interior bem areado e fofo.
Bjoka
Rita

Cozinha Caseira disse...

Que belo pão.

Gostei imenso desta sugestão. Ficou lindo e com um interior de comer e não parar.

http://www.pratocaseiro.blogspot.pt/

Lia Teixeira disse...

Este teu post levou-me também à minha infância Vera, pois na casa dos meus avós também havia forno a lenha, onde a porta era selada com um barro que a minha avó mexia na altura e de lá também saiam sempre muitas broas de milho, bolas de sardinha, de carne e de frango. Que saudades me deu!!
Pão é um labour de paciência e amor e este teu pão está com um aspecto divino!
Beijinhos,
Lia.

Ricardo Tiago disse...

aspeto absolutamente divino. bjinhos

Catarina Nogueira disse...

Adorei o programa do Paul Hollywood! Também fiz o Bloomer e adorei o resultado :)

Petiscos e Miminhos disse...

Bem verdade, agora que tenho feito pão quase todos os dias percebo que um dos segredos é saber esperar ;))
deve ter ficado uma maravilha!

Elsa Gouveia disse...

Tem um ar maravilhoso esse pão. Fiquei com vontade de fazer...
Bj.
http://cozinhapratosecopos.blogspot.pt/

Paula Matos disse...

Olá,
Quando publicam pão fico com uma vontade tão grande de experimentar, adoro pão caseiro e o teu ficou tão perfeito.
Beijinhos
Paula

Célio Cruz | Sweet Gula disse...

Ficou tão lindo este pão, Vera!
Dá vontade de ir a correr para a cozinha para ir fazer pão... mas depois penso... poça, ainda são 4 horas de espera e não aguento. Fica para um dia de pregiça. ;)
Beijinho.

Rita C disse...

Olá! Acha que funciona com farinha de centeio? Prefiro pão escuro... :) Obg

vera ferraz disse...

@Rita C., ainda não experimentei. Agora que já fiz este e repeti, vou começar a fazer as variações. Se experimentar, diga-me ;)

Ondina Maria disse...

Eu tenho paciencia infinita no que toca ao pão. Mas não abandono a minha receita base... E claro, sempre escurinho :)

Falta-me o forno a lenha, mas olha, é a vida!

Ondina Maria disse...

Eu tenho paciencia infinita no que toca ao pão. Mas não abandono a minha receita base... E claro, sempre escurinho :)

Falta-me o forno a lenha, mas olha, é a vida!

Nuno Catarino disse...

O segredo de fazer um bom pão é de facto para alem das farimjas, é o tempo de espera. Assim quanto mais tempo se esperar mais o pão leveda e mais saboroso fica. Parabéns pelo magnifico post.

@Rita. C - Sim funciona com farinha de centeio, mas atenção que as proporções da quantidade de agua vai variar, já que esse farinha como tem muito farelo absorver muita mais agua fazendo com que o pao fique muito mais consistente, do que este apresentado na receita.

inês do crasto disse...

:O Adorei esta receita Vera! Nunca tinha visto esta forma de fazer pão, com as dedadas - e adoro a textura que dela resulta! Fiquei cheiinha de vontade de experimentar fazer este pão já amanhã!
Beijinhos e bom fim-de-semana ;)

Posts relacionados Plugin for WordPress, Blogger...
blog design by WE BLOG YOU