26/04/2015

Ementa da semana {e mais um desabafo}


A semana que passou foi uma correria tão grande que mal tive tempo para vir aqui.
Sinto que literalmente voltei para a escola primária... Não compreendo a exigência que vejo na frente dos meus olhos. 
 
O meu filho tem 7 anos e faz contas com frações [perdoem-me a estupfacção!]. Os textos são por vezes tão difíceis que eu própria tenho que ler duas vezes [que é coisa que ele nunca faz, e acredito que quase nenhum miúdo da idade dele faça]. Tudo isto conjugado com aulas até às 17.30h, atividade desportiva duas vezes por semana [o rapaz precisa de se mexer porque se há coisinha que faz bem é comer] e ainda os trabalhos de casa, arrasa qualquer boa vontade de escrever. O tempo que existe entre a chegada a casa e o momento em que o rapazinho vai para a cama parece voar e nem eu sei como conseguimos fazer tudo...
Com este sistema se ensino, só posso pensar que querem que as nossas crianças sejam super. Super inteligentes, super rápidas, super tudo. E eu só quero que o meu rapazinho seja criança. Ele chega ao final do dia tão cansado que há dias que nem o sempre tão esperado jogo em família o arranca do sofá. Tendo em conta que ele tem que ficar na escola nove horas e meia por dia, chega a casa e ainda faz trabalhos de casa para consolidar matéria que foi dada, só me apetece escrever uma carta ao senhor ministro e perguntar-lhe há quantos anos não tem contacto com crianças. Se já se esqueceu do que está implícito na palavra criança... Há dias em que me pergunto no que irá dar esta educação, este ensino...
Depois de tudo isto, só me resta ter esperança que esta semana seja mais traquila!
Para aqueles a quem o stress e a agitação tira o sono ou pelo menos a facilidade em adormecer, espreitem este post com algumas dicas que podem ser úteis. 

Segunda-feira: Almôndegas de beringela e feijão frade
Terça-feira: Lasanha de atum, camarão e ananás
Quarta-feira: Asinhas de frango com arroz de feijão branco
Quinta-feira: Risotto de camarão e red fish
Sexta-feira: Caril de Peru

Bolinho da semana: Bolo de cenoura e avelã {fat free}
Jantares sem hidratos de carbono: Souflé de requeijão e azeitona, beringelas com molho de requeijão de ervas, atum à Brás com couve lombarda, frittata de tomate cereja e cebolinho, tarteletes de legumes e frango 
Iogurtes: Iogurtes de Chá verde e cereja do Japão
Pequeno-almoço: Porridge de chocolate e laranja






8 comentários:

Sylvie Gomes disse...

Vera ainda não cheguei a essa fase dos ditos trabalhos de casa mas vejo muitos desabafos como os teus por aí... também tenho lido muito sobre o assunto e parece-me que não há espaço para se ser criança com estas exigências escolares, nem criança nem família... ainda falam eles de políticas de natalidade (sim porque para mim natalidade é mais do que "dar à luz"). Enfim, ainda bem que há Super Mães como tu que apesar de tudo dão o seu melhor!!! <3

Anónimo disse...

A questão é mesmo saber para que servem todos esses trabalhos de casa... Este modelo de ensino está a amestrar crianças e não a educá-las. Pretende-se que reproduzam modelos, decorem modos de resolver problemas, decalquem desenhos, leiam todos os mesmos texto. não há espaço à criatividade, à brincadeira livre, a ler por gosto. Depois fazem-se quadros de honra para promover a competitividade em vez da cooperação, a vaidade/humilhação em vez da solidariedade. Não sei se o mundo construído por crianças assim vai ser melhor.

Maria João Barbeitos disse...

É muito triste as crianças não poderem ser crianças. Tenho dois exemplos desses lá em casa. Sempre cansadas, sem tempo para rebolar, sem tempo para brincar e pular. Têm actividades extra-curriculares, é certo, mas porque gostam e precisam. Afinal, porque não hão-se seguir desporto, ou música na vida? Porque têm que levantar os rankings idiotas deste país! E agora os exames à porta. Triste, muito triste! Eu já assinei a petição que anda aí a circular contra estas novas metas curriculares, feitas por professores catedráticos e sem um único professor de 1.º ciclo. Logo à cabeça isto é tão estúpido... tristes este engravatados, castrados e frustrados a quem seguramente nunca deixaram ser crianças!

http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT76773

Mary - Strawberrycandy disse...

Como te compreendo,....a minha filhota anda no 2º ano e está a dar as contas, que nada tem a ver com o nosso tempo,....às vezes quero ensinar e ela diz que não foi assim que aprendeu :)
Que belo menu!
Beijinhos,
Espero por ti em:
www.strawberrycandymoreira.blogspot.pt
www.facebook.com/omeurefugioculinario

Alexandra Pinto dos Santos disse...

Bom dia,

Partilho exatamente da mesma opinião!!!
Tenho uma menina de 8 anos, um rapaz de 5 e outra menina de 3.
Ainda só a mais velha tem "essa vida" dos tpc's, mas sinto a mesma coisa.
Sou completamente contra os tpc's durante a semana!!!

Beijinhos,
Alexandra

M&M' Place disse...

Esperem pelo 2º ou pelo 3º ciclos. Eu tenho a minha filha mais velha no 7º ano de escolaridade e vocês não imaginam o grau de exigência. O que mais me incomoda é que os programas andaram em média 2 anos letivos para trás e muitos pais não têm capacidade para ajudar os alunos. Por exemplo, a minha filha, deu no 2º período, em matemática, funções. Ora eu dei funções no 11º ano. Penso que, para quem seja da área de línguas, isto é complicado. O mesmo se passa com o português. Mudaram os "nomes "a várias coisas na gramática. Vale-me a minha irmã que é professora de português...
Como vêm não é fácil o que aí vem...
O que eu noto, é que os miúdos não têm maturidade para entender algumas matérias que são leccionadas e os miúdos só conseguem se tiverem apoio em casa. A minha tem, mas muitos outros não têm...e se calhar com ajuda até conseguiam....

Ondina Maria disse...

Eu, que não tenho crianças minhas mas tenho sobrinhos, também me pergunto: onde é que está o tempo para as crianças serem crianças e brincarem umas com as outras? É que no meu tempo, a escola primária era ou de manhã ou de tarde, e o resto do dia era nosso! E não me parece que tenhamos ficado burrinhos de todo...

Maex2 disse...

Também partilho da mesma opinião...
Tenho uma filha com 8 e um filho com 11, sou funcionária pública, deixo a minha filha às 9.00 h. (num colégio que só o meu marido pode pagar...), chego ao trabalho às 9.30h. e só consigo ir buscá-la às 18.30h. Ainda ontem às 19.00 h. estivemos a estudar matemática...e o meu filho, na matemática já nem consigo acompanhar!
Eu não sei se com estes programas querem fazer "super meninos"...talvez até o contrario!
mas esquecem-se depois que a "educação" não é só a"formação de conteudos"!!!

Posts relacionados Plugin for WordPress, Blogger...
blog design by WE BLOG YOU