17/09/2018

Tarte de figos para sobremesas de última hora

Já lá vai um par de meses desde a última publicação neste blogue. Recebi mensagens a perguntar se estava tudo bem, se tinha mudado de blogue ou deixado de escrever. Percebi que ainda há muitas pessoas que lêem o blogue sem seguir mais nenhuma rede social, nomeadamente o instagram por onde me tem sido mais fácil partilhar o que se vai fazendo por aqui. As férias dos miúdos trazem naturalmente grandes alterações nas rotinas e a falta de suporte familiar fez com que sem dar por isso, tenha passado tanto tempo desde o meu último post. Mas setembro chegou e com ele o regresso das rotinas e de algum tempinho para fazer isto que tanto gosto!

Os fins de semana são sempre curtos para o que queremos fazer e quem tem filhos sabe como é imensamente difícil conjugar a sua vida social com os restantes elementos da família. No sábado passado tínhamos uma tarefa difícil para fazer que já andávamos a adiar à demasiado tempo. Depois do fogo de outubro do ano passado, onde quer que houvesse um eucalipto nasceu uma centena deles. Esta espécie, que de bom só tem o cheiro, é de tal maneira resistente que renasceu até por baixo dos escombros, daí que tínhamos pela frente a tarefa de arrancar o mal pela raiz antes que crescessem demasiado e já não fosse possível. 
Até a Maria arrancou alguns. Mas enquanto nós nos dedicávamos à causa, ela comia pinhões que a Avó partia e apanhava bolotas e bugalhos toda contente. 

Quando cheguei a casa e enquanto se faziam os grelhados, fiz esta tarte para servir ainda morna com gelado de baunilha. Era o mínimo que podia fazer para agradecer aos meus tios a enorme ajuda. Sem eles teríamos demorado o dobro ou triplo do tempo.

Apesar de cansados, estavamos felizes por estar na quinta, respirar aquele ar puro, sujar as mãos (e arranhar-me toda nas silvas!!). E ao olhar para aquele cenário ainda com muita coisa queimada e paredes caídas vem a esperança que daqui a um ou dois anos as paredes se voltem a erguer.
Ingredientes:
1 chávena de açúcar amarelo
100 g de manteiga
2 ovos
1 vagem de baunilha
1 chávena de farinha para bolos com fermento
1 pitada de sal

4-5 figos frescos
1 punhado de amêndoas com a casca

Ligue o forno a 180ºC.
Numa taça, bata a manteiga com o açúcar durante 2 minutos. Junte os ovos, um de cada vez e as sementes da vagem de baunilha (guarde a vagem dentro de um frasco de açúcar para fazer açúcar baunilhado ou coberta de vodka ou outra bebida alcoolica para fazer essência de baunilha).
Acrescente a farinha e o sal e envolva sem bater.
Deite a massa numa forma untada com manteiga e polvilhada com farinha.
Decore com rodelas de figo e amêndoas picadas grosseiramente.
Leve ao forno durante 35-40 minutos.
Sirva morno com uma bola de gelado.
Este ano as figueira têm sido generosas e há figos para comer e secar. Espero ainda conseguir fazer uns frascos de compota porque é deliciosa!
Podem ler a receita aqui, neste post.

8 comentários:

Anjo-de-Mel disse...

A tarte ficou bonita, sem dúvida! Mas por aqui, infelizmente, não há figos... Talvez no próximo ano venham alguns do pomar da mana ;) Bjinhos e bom regresso, já tinha saudades também ;)

vera ferraz disse...

Que pena... É de facto uma fruta deliciosa!
Um beijinho e aceita uma fatia, ainda que virtual 😘

Maria disse...

Não aprecio figos ao natural mas adoro-os em bolos e em compota. Não tenho figueira mas ao pé de casa há uma 'vadia' que este ano tem um carrego tamanho. Já apanhei alguns para um bolo, já dei outros tantos e no fim de semana vou buscar mais para uma compota. Gostava de saber como se secam porque são tantos que dá para fazer essa experiência.

vera ferraz disse...

Basta colocar ao sol, num tabuleiro forrado com papel ;)
Demora algum tempo, passam pela fase que parece que estão estragados mas é só esperar e ver que a magia acontece.
Depois guardam-se num saco de pano ou até se podem congelar. Há quem passe por farinha para não colarem, antes de os guardar mas eu não faço isso.
Um beijinho

Maria disse...

Obrigada pela explicação. Vou experimentar embora aqui na zona de Aveiro o sol raramente atinja temperaturas elevadas (as médias andam pelos 22...). No entanto, como os figos são à borla, experimento! :)

Anjo-de-Mel disse...

Maria, a partir de 2a-f vai estar sol e calor por estes lados (Aveiro), por isso, podes ter sorte ao secar os figos :) Bjinhos e consegui figos duma vizinha da minha avó, por isso, amanhã a tarte será a sobremesa de deste Domingo :) (tive q colocar a maioria dos figos p as galinhas comerem, pois já estavam a apodrecer e ñ queria correr o risco de danificar a compota... :( )

Margarita disse...

im te conhecer e adorei o seu blog... Parabéns!!!

vera ferraz disse...

Obrigada!
Volte sempre!

Posts relacionados Plugin for WordPress, Blogger...
blog design by WE BLOG YOU